Apocalipse

Dentro e fora, sou o cosmos vasto;

Em alegre gesto, lanço tudo e tudo recolho.

Um Espírito sem nascimento e sem morte, que se move e é imóvel

Sempre reside em mim, para ouvir meu chamado

Sou eu quem crio na Terra minhas alegrias e tristezas

Para satisfazer minha busca inigualável em meu jogo,

Velo minha face de verdade com silhuetas douradas

E vejo a noite-cobra e dia-serpente

Um Deleite-Consciência eu sinto em cada alento;

Sou a auto-amorosa criança do Sol

Ao bel-prazer, destruo e crio minha bainha-símbolo

E participo livremente do jogo do mundo.

.

– Sri Chinmoy

.

tradução
http://www.srichinmoylibrary.com

The URI to TrackBack this entry is: https://poesiadivina.wordpress.com/2012/12/14/apocalipse/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: